Rose e Becki deixam o The Pipettes

19 04 2008

Rosay (Rose), Riot Becki (Becki) e Gwenno (Gwen)

Rosay (Rose), Riot Becki (Becki) e Gwenno (Gwen)

A banda britânica The Pipettes anuciou hoje à imprensa que as vocalistas Riot Becki e Rosay estão se desligando do grupo. Porém, as “ex-Pipettes” não deixarão a amiga Gwen e seus demais companheiros na mão. O The Pipettes já está reintegrado com as novas vocalistas Ani e Anna.

Chamada primeiramente de The Cassettes, a banda foi formada em Brighton, na Inglaterra, com influências e inspirações sobre os sons de Phil Spector. O idealizador do grupo foi o produtor artístico Monster Bobby, que para dar início ao seu projeto, uniu três mulheres porta-vozes de suas idéias.

Na bagagem o grupo já carrega três discos de vinil, com edições limitadas em 2004, e um CD chamado “We are The Pipettes”, em 2006. Além de seus oitos singles lançados entre 2004 e 2006, como “Dirty Mind” (2005) e “Judy” (2006).

Tendo como característica principal da banda as três vocalistas e tecladistas em seus modelitos retrôs, Bobby (guitarra), Jon (baixo), Seb (teclados) e Joe (bateria) completam a formação da banda. Já é a segunda vez que o The Pipettes ganha vocal novo, em 2005, uma das primeias vocalistas do grupo, Julia, deixou a banda para entrar no The Indelicates.

Estilo do som: quem gosta de vocal feminino vai gostar de ouvir The Pipettes, pois as músicas são compostas por corinhos gostosos das porta-vozes do grupo. O visual deles é retrô, mas o som é uma maneira bem moderninha e pop de apresentar as influências de Phil Spector.

ESCUTE The Pipettes clicando aqui ou entre no site oficial da banda!

Para sentir um pouco o clima das Pipettes, veja o vídeo abaixo!

___________________________________________________

Já que o assunto é vocal feminino, confira a matéria “Rock de Salto Alto“, apresentando algumas bandas de Riot Grrrls!

Começaram aos poucos e agora querem invadir o mundo rockeiro em cima do salto. Com grandes exemplos como Debbie Harry (Blondie) e Patti Smith, as cordas e microfones hoje caem em mãos femininas. Já é da antiga que bandas como L7, Bikini Kill, Joan Jett e Elástica mostram bom serviço quando se fala de rock and roll. Com o tempo, as riot grrrls foram aumentado, modernizando e invandindo o universo tão habitado pelos homens.

The Long Blondes

O glamour e o estilo dos The Long Blondes são apenas detalhes que qualificam o som do quinteto. As músicas são felizes, com letras melódicas que combinam perfeitamente no vocal de Kate Jackson (a garota sexy do rock britânico).
A banda conta com três garotas: Kate (vocal), Emma (teclado e guitarra) e Rennie (baixo), e com os boys Dorian (guitarra) e Screech (bateria). O disco ¿Drive You Home¿ dos ingleses de Sheffield foi lançado no Brasil no dia 1º de abril e é uma boa pedida pra quem curte um pós-punk moderninho com vocais que lembram Debbie Harry (Blondie) e Patti Smith.

 

The Muffs

Com Kim Shatuuck no comando, Ronnie Barnett no baixo e Roy McDonald na batera, os The Muffs fazem seu som por aí desde 1993.
A banda de Los Angeles, que tem uma pitada punk, lançou seu último CD em 2004, o ¿Really Really Happy¿. Em toda sua trajetória, a banda já trocou de formação uma vez e lançou quatro CD¿s. Num estilo The Donnas mais pop e rouco, eles prometem um novo disco que está sendo trabalhado desde o ano passado. Rock and roll puro e voz nervosa transforma os sons dos Muffs em boas letras para cantar e ouvir no volume mais alto possível.

Escute na internet:
http://www.the-muffs.com
 

As pop do rock canadense, Lilix

Compositoras desde pequenas, as imãs Lacey- Lee e Tasha Ray Evin foram quem deram o ponta-pé inicial para o nascimento da banda canadense Lillix. Apesar de toda a produção do mundo pop sobre as garotas, o som é divertido e cai bem nas atuais festas rock moderninhas.
Na ativa desde 2004, a banda conta hoje com Ashley Grobell, (baixo e vocal), Eric Hoodicoff (bateria), Lacey-Lee Evin (teclado e vocal) e Tasha-Ray Evin (guitarra e vocal). Entre breves riffs indies, batidas eletrizantes e guitarras estacadas de hard core, os sons misturam coisas novas e uma linha base que já não é tão comum nas rádios. O quarteto já conquistou um público tri pela região do Canadá e tem tudo o que uma banda precisa para fazer sucesso. Basta esperar e ver se os exigentes ouvintes irão curtir o som das garotas. Estilo e inspiração elas têm.

Escute na internet:
http://www.myspace.com/lillix
http://www.lillix.net

Anúncios




Um lugar do caralho

10 04 2008

 

Eu preciso encontrar
Um lugar legal pra mim dançar
E me descabelar
Tem que ter um som legal
Tem que ter gente legal
E ter, cerveja barata
Um lugar onde as pessoas sejam mesmo afudê
Um lugar onde as pessoas sejam loucas e super chapadas
Um lugar do caralho
Sozinho pelas ruas de São Paulo eu quero achar alguém pra mim
Um alguém tipo assim:
Que goste de beber e falar,
Lsd queira tomar e curta
Syd Barrett e os beatles
Um lugar e um alguém que tornarão-me mais feliz
Um lugar onde as pessoas sejam loucas e super chapadas
Um lugar do caralho
Um lugar do caralho
Sozinho pelas ruas de São Paulo eu quero achar alguém pra mim
Um alguém tipo assim:
Que goste de beber e falar,
Lsd queira tomar e curta
Syd Barrett e os beatles
Um lugar e um alguém que tornarão-me mais feliz
Um lugar onde as pessoas sejam loucas e super chapadas
Um lugar do caralho
Lugar do caralho

       E o Júpiter, quando se pensa que ele vai e não volta mais, apronta uma: volta, sobe aos palcos, lança CD e grava DVD. Lembro que quando o entrevistei, em 2006, ele estava bêbado, em véspera de sua viagem para a Espanha. Eram 14h da tarde, em um hotel do Centro de Porto Alegre… entre um gole e outro de wiskey, saíram algumas respostas e a entrevista aconteceu. (Confira o bate-papo com o Júpiter Maçã clicando aqui)

       Ele estava gordo, acabado, não conseguia cantar direito nos palcos. Até me apavorei quando vi sua fotografia atual, pois, hoje, ele está como “um palito em pé”. Essa semana, dia 07/04, o Júpiter Apple realizou a gravação de seu DVD ao vivo, lançando seu quinto trabalho “Uma Tarde na Fruteira”, no Opinião, em Porto Alegre. Ele subiu ao palco com sua nova magreza, nem tão bêbado e cantou perfeitamente as canções….

       Porém, ontem a noite, a produtora que gravou seu DVD, a Lazerimaron, sofreu um trágico acidente. O prédio onde eram gravavados programas de TV e produções e edições de vídeo incendiou. Nada pôde ser salvo e houve perda total de material e equipamentos.  E agora, será que as imagens do Maçã estavam lá? Provavelmente, sim.

       O Júpiter poderia fazer outro show beneficiente à produtora Lazerimaron, já aproveitando e gravando novamente o DVD….

       Postei a letra de “Um lugar do caralho”, do Júpiter, logo acima porque acho que é o que o pessoal da Lazerimaron mais precisaria agora! Eles merecem…