Charutos Cubanos: indie rock com toque brasileiro

3 03 2010

Charutos Cubanos - Foto por Letícia Remião

Músicas para ouvir na estrada, que lhe façam pensar em uma única coisa: cantar em alto e bom som sem se preocupar com nada. É assim que a banda gaúcha Charutos Cubanos pode ser identificada através das suas canções alegres de indie rock. Formada em 2007, por Leo Bittencourt (vocal), Frango (bateria), Andre (baixo), Bragatti e Tommy (guitarras), os músicos já possuem dois EPs na bagagem – lançados em 2008 e 2009, e alguns hits como os sons It`s Just My Job e Charutos Instrumentais.

Com influência do rock britânico e dos americanos dos Strokes, a Charutos Cubanos surgiu através de uma prática comum entre os integrantes desde cedo. Colegas de aulas de música na infância, a paixão pelo rock resultou em riffs longos com uma batida dançante. Juntos desde a época da escola, o quinteto já conquistou o seu lugar no circuito independente de Porto Alegre tendo subido nos palcos locais mais freqüentados pelo público alternativo. Além de terem participado do Radar, na TVE,  programa de televisão disputado pelos músicos do RS.

Em 2009, a Charutos foi surpreendida pela top Gisele Bündchen, que escolheu a música It`s Just My Job como trilha tema para um vídeo de making off em seu site pessoal. Reconhecidos pela modelo, os meninos também recebem elogios e causam surpresa aos novos ouvintes que conquistam.

Entre a escolha comum pelo estilo musical no Estado, a banda se destaca pela originalidade nas letras e a competência de reproduzir um bom rock and roll de maneira brasileira. Com muita energia e inspiração para ser gastada, a Charutos Cubanos se prepara para enfrentar uma agenda de shows em São Paulo, gravar o seu primeiro videoclipe e trabalhar em músicas novas durante este ano.

Escute e conheça um pouco mais sobre a Charutos Cubanos no My Space da banda: www.myspace.com/charutoscubanos.





Metallica fez show com lama e metal na veia

29 01 2010

Foto por Camila Domingues

Parece quase que um ritual adolescente conhecer e apreciar os clássicos do Metallica. Eles são a inspiração para os que querem aprender a tocar algum instrumento ou para as pessoas que apenas admiram uma banda que transmite todo o ódio e o amor através de diferentes sons e riffs fortes.
Foi na noite de ontem, 28 de janeiro de 2010, que Porto Alegre recebeu James Hetfield (vocal e guitarra), Kirk Hammett (guitarra), Robert Trujillo (baixo) e Lars Ulrich (bateria) no Parque Condor. A concentração começou um dia antes do show, nos acampamentos dos que queriam garantir o seu primeiro lugar na fila. Pouco antes de abrir os portões, já havia quase vinte e oito mil pessoas disputando a entrada. Todas prontas para enfrentar uma terra molhada, que se transformou em lama e poderia muito bem ter terminado com a noite de qualquer fã.

Apesar da sujeira e do desconforto, o repertório dos músicos superou qualquer situação e deixou muitos cabeludos com lágrimas emocionadas no rosto. Foram poucas músicas do último disco, Death Magnetic, algumas clássicos do The Black Album e sons como Master Of Puppets e The Memory Remains no set list. Mas o que fez a noite ser completa mesmo foi o carisma e as palavras que o vocalista e guitarrista Hetfield transmitia entre uma canção e outra: _Nós estamos aqui para fazer vocês se sentirem melhores. E para vocês nos sentirmos melhores também!

Foto por Camila Domingues

E nessa proposta de sempre sentir a energia do público que o Metallica fez um show completo e ainda presenteou Porto Alegre com minutos de descontração e amizade após o set, em cima do palco. Depois de encerrar com Seek and Destroy, eles brincaram um com o outro, cantaram parabéns para ao empresário (que levou torta na cara), atiraram palhetas e baquetas para o público e deixaram palavras de satisfação pela noite. Com certeza, quem mais quer agradecer aos “reis do metal” pelo momento é a multidão, que voltou pra casa com lama até a alma, mas, realizada.

O show fez parte da turnê World Magnetic Tour, que segue com data em São Paulo, no Morumbi, no domingo (31).

Foto por Camila Domingues

Set List World Magnetic Tour
Creeping Death
For Whom The Bell Tolls
Ride The Lightning
The Memory Remains
Fade To Black
That Was Just Your Life
The End Of The Line
The Day That Never Comes
Sad But True
Cyanide
One
Master Of Puppets
Battery
Nothing Else Matters
Enter Sandman
Die, Die My Darling
Phantom Lord
Seek and Destroy


Gafe!
James Hetfield se empolgou tanto que disse mais de uma vez que era um prazer estar pela primeira vez em Porto Alegre. Ele esqueceu que já passou pelos palcos gaúchos em 1999. Sorry!

Parece quase que um ritual adolescente conhecer e apreciar os clássicos do Metallica. Eles são a inspiração para os que querem aprender a tocar algum instrumento ou para as pessoas que apenas admiram uma banda que transmite todo o ódio e o amor através de diferentes sons e riffs fortes.
Foi na noite de ontem, 28 de janeiro de 2010, que Porto Alegre recebeu James Hetfield (vocal e guitarra), Kirk Hammett (guitarra), Robert Trujillo (baixo) e Lars Ulrich (bateria) no Parque Condor. A concentração começou um dia antes do show, nos acampamentos dos que queriam garantir o seu primeiro lugar na fila. Pouco antes de abrir os portões, já havia quase vinte e oito mil pessoas disputando a entrada. Todas prontas para enfrentar uma terra molhada, que se transformou em lama e poderia muito bem ter terminado com a noite de qualquer fã.

Apesar da sujeira e do desconforto, o repertório dos músicos superou qualquer situação e deixou muitos cabeludos com lágrimas emocionadas no rosto. Foram poucas músicas do último disco, Death Magnetic, algumas clássicos do The Black Album e sons como Master Of Puppets e The Memory Remais no set list. Mas o que fez a noite ser completa mesma foi o carisma e palavras que o vocalista e guitarrista Hetfield transmitia entre uma canção e outra. “Nós estamos aqui para fazer vocês se sentirem melhores. E para vocês nos sentirmos melhores também”.
E nessa proposta de sempre sentir a energia do público que o Metallica fez um show completo e ainda presenteou Porto Alegre com minutos de descontração e amizade após o set, em cima do palco. Depois de encerrar com Seek and Destroy, eles brincaram um com o outro, cantaram parabéns para ao empresário (que levou torta na cara), atiraram palhetas e baquetas para o público e deixaram palavras de satisfação pela noite. Com certeza, quem mais quer agradecer aos “reis do metal” pelo momento é a multidão, que voltou pra casa com lama até a alma, mas, realizada.
O show fez parte da turnê World Magnetic Tour, que segue com data em São Paulo, no Morumbi, no domingo (31).

Set List “World Magnetic Tour”
Creeping Death
For Whom The Bell Tolls
Ride The Lightning
The Memory Remains
Fade To Black
That Was Just Your Life
The End Of The Line
The Day That Never Comes
Sad But True
Cyanide
One
Master Of Puppets
Battery
Nothing Else Matters
Enter Sandman
Die, Die My Darling
Phantom Lord
Seek and Destroy
Gafe!
James Hetfield se empolgou tanto que disse mais de uma vez que era um prazer estar pela primeira vez em Porto Alegre. Ele esqueceu que já passou pelos palcos gaúchos em 1999. Sorry!





Janis Joplin nas telinhas

19 01 2010

Janis Joplin

Uma voz aguda, tons altos e muitas histórias é o que se espera de The Gospel According to Janis, novo longa-metragem sobre Janis Joplin. Com promessa de ser lançado em 2010, o vídeo será estrelado por Zooey Deshanel no papel da cantora.

Fernando Meirelles, cineasta brasileiro, já declarou que está envolvido no projeto e que se dedica ao roteiro do longa. The Gospel According to Janis não é notícia fresquinha, mas parece que está se concretizando aos poucos. Aguardar e ver!

Ver Zooey interpretando Janis vai ser, no mínimo, agradável

Vale lembrar que a vida de Janis já foi representada em A Rosa, filme de 1979.

Zooey é muito mais que uma atriz de papeis fofos. Ela também exibe seus talentos musicais na banda She & Him, onde faz dupla com o músico M.Ward. Eles são engraçadinhos e as músicas não deixam de ter o mesmo adjetivo.  Saiba mais sobre a dupla no www.sheandhim.com.





Juliette Lewis lança primeiro clipe com The New Romantiques

10 09 2009

twitter.com/JulietteLewis
twitter_juju

A mensagem acima foi postada o twitter na última terça-feira e retuitada por muita gente: o primeiro videoclipe de Juliette Lewis e seus novos parceiros, Fantasy Bar, está na rede.

Juliette and The New Romantiques aproveita o recomeço da cantora em palcos pequenos de pubs pela Europa e América do Norte. Porém, depois do clipe dá pra ver que a imagem de bandinha nova não se encaixa mais no conceito.

O primeiro vídeo do disco Terra Incognita traz imagens que todo o fã da “Juju” espera ver. Ela fazendo valer sua carreira de atriz nas melhores das performances para o seu estilo de som, ainda com seu acessório indígena na cabeça.

juju2
Cheio de efeitos e com frames psicodélicos, o clipe de Fantasy Bar tem ficção e musical sobrepostos entre feixes de luzes. A música está bem próxima dos trabalhos de Juliette com os The Licks. Com seus movimentos curvos e roupas mais delicadas ela manda uma mensagem: “eu ainda sou a mesma”.

Confira com seus próprios olhos!

http://www.myspace.com/juliettelewis





Humbug: por uma novidade

8 09 2009

Sei que entre uma busca e sua do Google, meu blog surge. Porém, ao entrar nele se percebe que o espaço está um pouco abandonado.

A explicação é que, no meu último semestre do curso de jornalismo, o vício teve que ser esquecido por um tempo. Este blog não morreu, ele apenas está sendo amigo com meu diploma, tcc e experiência no mercado de trabalho.

Para provar que a paixão pelo mesmo continua, assim como a preferência por este conteúdo dedicado a roqueiros estúpidos, nojentos e que agradam a todos nós com seu talento, aqui vai uma breve resenha de CD.

Humbug – Arctic Monkeys

humbugEle estava me esperando, sempre no topo da lista da minha biblioteca de mídia do Windows Media Player. O último disco do Arctic Monkeys demorou para me dizer o que ele realmente é, mas agora, acho que já estou preparada para te contar.

Produzido por Josh Homme, líder do Queens Of The Stone Age, Humbug está (sim) com novidades em relação a Favourite Worst Nightmare, de 2007, e Whatever People Say I Am, Thats What I’m Not, de 2006.  Quem conferiu o show do quarteto noTim Festival de 2007 pode confirmar que os gestos afirmavam ritmos rápidos, poucos acordes e aquele tom blasé dos novos indies ingleses.

arcticPodemos dizer que neste álbum há mais espaços para métricas quebradas e a criatividade das guitarras. Sem querer puxar o lado dos Monkeys, porque sei que eles não são o melhor exemplo de simpatia, não dá para dizer que a banda é só mais um produto indie. A produção do novo trabalho busca detalhes desde os riffs até os vocais que Alex Turner canta.

Sombrio, mais pesado ou até mesmo chato para quem não curte essa falta de cultura pop para as pistas, não há como não gostar dos sons novos. A melhor coisa que podemos perceber com atenção é que, se o disco for escutado com calma e repentinamente, vicia e até provoca alguns passos de dança.

Minhas preferidas de HumbugCrying Lightning, Dangerous Animals e Cornestone.

http://www.arcticmonkeys.com





Killers lutam contra ex-empresário na justiça

27 02 2009

A briga judicial entre os The Killers e seu ex-empresário Brande Merrick inicou em 2006, quando Merrick processou a banda por quebra de contrato. Porém, os Killers não ficaram quietos e recentemente contra-atacaram o empresário, acusando-o de ser responsável por um prejuízo de mais de um milhão de dólares, devido a shows cancelados e oportunidades promocionais perdidas. Os músicos ainda alegam que Merrick continuou agindo externamente nas administrações do grupo após a quebra de contrato sem o conhecimento de nenhum Killer. 
Atualmente, os The Killers estão se dando bem com o novo empresário, Robert Renolds. Os norte-americanos lançaram o novo disco Day & Age em novembro passado e acabam de receber o prêmio de  melhor banda internacional no NME Awards.





Insistente, Doherty quer voltar com os Libertines

27 02 2009
Pete Doherty
Pete Doherty

Após receber o prêmio de melhor artista solo no NME Awards na última quarta-feira, 25, Pete Doherty declarou que pretende ressuscitar a banda The Libertines. Segundo a Folha Online, o músico deseja continuar com sua carreira solo e atuar na suas bandas Babyshambles e Libertines. Porém, o regresso de seu primeiro grupo só vai depender de Carl Barat, o responsável pelo fim da banda há cinco anos atrás. O problema é que Barat já declarou à imprensa no início do mês que não irá aceitar a proposta de reunir a banda novamente por dois milhões de libras. O músico quer ser ator e Pete Doehrty terá de tirar essa idéia dele da cabeça!

Novo disco solo de Doherty
Pete lança seu novo álbum Grace/Wastelands dia 16 de março. O músico estava trabalhando no disco desde 2007 e já lançou os sons A Little Death Around The Eyes e Last Of The English Roses no My Space.
De uma vida digna de rock star e britânico junkie, Pete Doehrty presenteia seus ouvintes com o talento de explorar novos ritmos, assim também como é referência do início do indie rock no mundo inteiro. Confere: www.myspace.com/gracewastelands .