The Dead Rocks: One Million Dollar Surf Band

10 02 2009

The Dead Rocks

Situados em um pequeno lugar do mundo, no interior de São Paulo, The Dead Rocks não parece ser deste país e nem desta época. Entre poucas bandas do gênero, o trio paulista mostra a música instrumental como um bom rock and roll pra dançar e muita originalidade no palco.

Desbravando a guitarra e o baixo elétrico, e, a bateria acústica, os Dead Rocks sabem expressar sua arte muito bem na música como na performance e estilo. Vestidos de ternos vermelhos, a atitude pode relembrar ícones dos “rockers” sessentistas, característica da banda é essencial para os amantes de um bom rock and roll. A The Dead Rocks tem raízes, mas é atual.

One Million Dollar Surf Band

Os músicos de São Carlos, Johnny Crash, Marky Wildstone e Paul Punk formaram a banda considerada como melhor grupo de surf music do país. Já com o segundo disco, One Million Dollar Surf Band, em mãos, o trio percorre outros horizontes e toca na França, Alemanha, Bélgica e Itália. Gravado com equipamentos vintages, no estúdio Le Boot, na Europa, o álbum contou com a mixagem de Jack Endino, produtor de discos do Nirvana, L7, Screaming Tress, Mudhoney e os brasileiros do Titãs. Além da masterização, realizada na Califórnia, por Phil Dirt e Adan Myers.

Com 14 músicas, o CD do trio também é disponibilizado na internet, sem proibições ou críticas de downloads gratuitos. Não deixe de conferir e dançar com os The Dead Rocks, faça o download.

E se nós, público brasileiro, não der valor a eles, eles se mudam de vez para a Europa. Depois, sem reclamações!

The Dead Rocks no Jô Soares… é interessante:






Os divertidos Retrofoguetes

30 01 2009
Retrofoguetes, por lLili Lambert

Retrofoguetes, por Lili Lambert

Os bahianos da banda Retrofoguetes fazem um rock instrumental bem dançante, tocando tudo que é tipo de riff e relembrando até temas conhecidos entre o rockabilly, polca e de tudo um pouco.

Formada em 2002, a Retrofoguetes é Morotó Slim na guitarra, CH Straatmann no baixo e Rex na bateria. Suas influências são muito bem exploradas a partir da literatura, filmes e uma ampla raiz musical que envolve desde o circus music à valsa. A guitarra parece ser multiplicar em várias, fato que fez Slim receber o troféu baiano Dodó e Osmar como melhor instrumentista da Bahia.

O trio também faz releituras de trilhas de séries e filmes, compondo obras perfeitas para os gêneros. Essa característica rendeu a um contrato com uma agência publicitária para o uso da música “Asteróide Fantasma”, levando o vídeo a receber o Leão Bronze em Cannes. No ano passado, a Retrofoguetes também levou pra casa o prêmio de melhor arranjo, no VI Festival de música da rádio Educadora FM.

Por enquanto, a banda ainda explora seu primeiro CD, Ativar Retrofoguetes!, com 18 faixas próprias. A promessa é que em março futuro, o público seja presenteado com um álbum de inéditas do trio, recheado de boas danças e diversão.

Confira o My Space do trio.